Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

O que é que o BBB tem?

08 de abril de 2010 0

Do que o povo gosta? Fofoca? Intriga? Briga? Competição? Então está aí a receita! É justamente tudo isso, e um pouco mais, que as 10 edições do Big Brother Brasil trouxeram para os telespectadores. Cada edição com seus participantes e suas peculiaridades, mas todos com a mesma finalidade: Entretenimento.
O BBB dos coloridos, ironicamente, terminou Dourado. Foi a vitória da moral e dos bons costumes sobre tudo, dizem as más línguas. Homossexualismo foge ao padrão típico da família brasileira, que já relativamente defasado se comparado à família clássica, mas nem por isso é imoral.  Marcelo Dourado derrotou, sim, adversários homossexuais, mas não sobre essa característica. Venceu por que foi um participante, talvez o único nessas 10 edições, que provou que respeito não quer dizer aceitar tudo que os outros dizem, e sim defender sempre sua opinião, pois a primeira coisa que deve vir é o respeito próprio.
Agora, fora da casa, Dourado terá de enfrentar um jogo ainda mais difícil: O mundo dos famosos acéfalos. E o difícil é não perder a cabeça…

Postado por Thiago M. Lacerda

O Big Brother vai fazer falta?

08 de abril de 2010 0

O bbb, quem nunca viu este programa que faz as pessoas terem opiniões diferentes, mas sempre tem alguem que fala que “nunca viu o big brother Brasil”, mas essas pessoas sempre sabem mais que todos sobre o programa. Depois de muitas e muitas edições do bbb, finalmente um gaúcho foi sortudo e acabou ganhando, para mim, nada mais que justo.

Eu sei que
muitas pessoas acharam errado o Marcelo Dourado ganhar o prêmio, só por porque tem aquele jeito machista demais, ele não sabia se expressar com suas palavras, não demonstrava os seus sentimentos e quando fez isso, o Brasil inteiro deu uma segunda chance para Dourado, que acabou conquistando o país inteiro e o finalmente um gaúcho ganhou o bbb 10.

Mas agora que acabou o big brother , fica aquele vazio após a novela , não iremos mais ver as polemicas que fazem nos todos ficarmos grudados na frente da TV a noite e fazia virar assunto do dia seguinte.

Postado por Júlia

O Rio Grande do Sul está dourado

07 de abril de 2010 4

É galera, demorou, mas chegou! Finalmente o primeiro gaúcho a ganhar o BBB.

         Há quem não tenha gostado da sua vitória, mas não se pode agradar a todos. No BBB 10 teve de tudo e talvez por isso mesmo tenha dado tanta polêmica e bate boca, mas bem que o brasileiro gosta de uma discussão, e por falar nisso, quem não se lembra das brigas entre Dicesar e Dourado?

         Pois é, depois de todo o sufoco passado por ele e por sua equipe para  ingressar novamente no jogo, depois de ter sido excluído do grupo ele ainda teve que conviver com o (com o perdão da palavra) MALA do Dicesar.

         Dourado não leva desaforo para casa, e no momento em que Dicesar começou a desrespeitá-lo, Dourado apenas se defendeu. Foi tachado de homofóbico por não querer abordar o assunto homossexualismo durante o almoço, convenhamos, isso não é assunto que se debata no meio de uma refeição, assim como não é adequado falar sobre sexo nesse momento, alguns assuntos não se encaixam em certas ocasiões.

         Particularmente fiquei feliz com a vitória, estava torcendo por ele desde que reingressou no BBB. Não acho que ele seja homofóbico, tive o prazer de conhecer sua irmã e sua mãe, e nenhuma delas demonstrava qualquer atitude que mostre algum preconceito (este é um fator que na maioria das vezes é dado pelos pais), penso que ele foi mal interpretado por querer o mínimo de respeito naquele ambiente e naquele instante (o almoço).

         Dourado pode não ser a pessoa mais correta do mundo, mas todos possuem defeitos, não é?! Somos humanos, somos animais racionais, não somos máquinas e possuímos defeitos sim, mas ainda sim somos pessoas.

Postado por Karol Cardoso

O medo de viver

03 de fevereiro de 2010 0

O medo de viver faz parte da vida de muita gente. A sociedade nos impõe a idéia de que não ter um parceiro é algo negativo. Mas se você for bem decidido quanto a essa situação, nada o impedirá de se sentir bem. Muita gente está sozinha porque prefere e consegue viver perfeitamente nessa condição. As pessoas precisam entender que a felicidade só depende de nós. Essa história de que precisamos encontrar alguém é coisa do passado. Devemos compreender que cada um tem uma forma de se sentir melhor, e quem prefere viver só deve deixar o preconceito de lado e ser feliz. Muitos chegam a dizer que viver só é um reflexo de uma incapacidade para atrair um amor. Não é porque a pessoa escolhe viver sozinha que ela é incapaz de amar e ser amada. É preciso entender que viver sozinho não é sinônimo de solidão. As pessoas que não são casadas ou moram sozinhas por qualquer outro motivo, podem muito bem encontrar a família e os amigos e ter uma ótima relação. Até porque, também existe o outro lado: existem pessoas que vivem rodeadas de gente, são até casadas e estão sempre sentindo solidão. Viver sozinho não é vergonha! Pelo contrário, é uma oportunidade de crescimento. Se você está passando por isso, aceite bem a sua situação e viva sem medo.

Por Dalgisa Karal, estudante de Farroupilha

 

 

Postado por Equipe do Kzuka

Independência ou Morte

14 de dezembro de 2009 0

Eu tenho uma prima pequena, não tão pequena assim. Ela bateu na porta da minha casa, hoje, alegando ter vindo de sua casa que fica a umas quadras da minha, por este trajeto é necessário atravessar ruas, e ela veio sozinha. Ela estava se vangloriando por sua pequena liberdade, um começo de independência. Independência esta, que nos move, nos faz caminhar com nossas próprias pernas. Uma mão amiga e firme é sempre bem vinda em casos de desmoronamentos, que acontecem de vez ou outra. Lembro-me da minha primeira conquista sozinha, me limpar, sim limpar o bumbum. Depois veio a escola, eu era obrigada a ir de segunda a sexta-feira, que me fez desprender-me do meu porto seguro, do meu lar. Logo mais, a primeira vez que encarei minha mãe e disse que poderia ir ao armazém da esquina sozinha, estufando o peito subitamente preenchido de um orgulho bobo de criança, disse que era grande o bastante para esta tarefa. Mas hoje analisando os fatos, lembro-me de não saber que era apenas um pontinho no meio da imensidão. Esta pequena independência era como se todas as janelas que antes estavam sempre fechadas se abrissem. E assim eu poderia voar pros braços do mundo. Assim que minha prima se sentiu hoje, igualmente como me senti dias atrás.


Por Maura da Costa, estudante de Alegrete

Postado por Equipe Kzuka

Amar é dizer eu te amo...

07 de dezembro de 2009 0

- Eu nunca vou te deixar – disse ele.

- Eu sei – sussurrou ela como em uma prece. – E se você me deixar não sei se vou continuar existindo – completou a garota.

- Você é como o sol e como o ar para mim – disse ele sorrindo como um menino.

- Como assim?

- Você me aquece, e não precisa estar sempre presente por que sei que você voltará para meus braços. Você é como o ar que respiro, sem você, eu nada seria.

- Você fala coisas tão lindas, mas nunca disse realmente o que eu queria ouvir – exclamou ela.

- Hum… Você deve estar querendo saber qual foi o presente que eu comprei pra você? – Você não me entende – ela respirou profundamente – nem todo o ouro do mundo compra um amor, nem toda lenha existente lhe aquece, nem todas as palavras esplendorosas lhe tornam glorioso, nem todo sacrifício o torna um mar de águas agitadas. Antes de promessas, presentes, flores, anéis, juramentos, lágrimas, risos, é necessário três palavras.

- Eu não consigo – disse ele baixinho. Me desculpe não ser romântico, eu faço o máximo possível.

- Não estou falando de romantismo, estou falando da forma como você contorna seus sentimentos, como você os tranca dentro do teu peito. Como você se cala nas horas em que é necessário falar.

- Eu sempre fui assim e você sempre soube disso.

- Eu já te disse que amo suas qualidades e seus defeitos. Mas há defeitos que podem ser contornados, amenizados, remendados. E o seu pode, deixe-me te ajudar.

- Como você vai me ajudar?

- Olhe no fundo dos meus olhos. E pronuncie no mesmo instante, as mesmas palavras que direi – ela então pegou a mão do rapaz e a colocou em seu peito, para que ele sentisse os pulos que seu coração dava. Ele fechou os olhos e deixou as palavras fluírem, como um rio.

- Eu te amo – pronunciaram lentamente.

E depois de dita a frase abriram os olhos, sorriram, e de repente seus rostos estavam unidos como um quebra cabeça, seus lábios roçando um no outro. Agora sim, eles estavam amando. Pois amar é dizer eu te amo, mesmo não sendo fácil como dizer bom dia.


Por Maura da Costa, estudante de Alegrete

Postado por Equipe Kzuka

Eu quero ser...

10 de novembro de 2009 0

Eu quero a certeza de ser quem sou ao amanhecer. E quando a noite me cobrir com seu véu escuro, eu possa estar sossegada, sem ter de me preocupar em achar as respostas para perguntas irrespondíveis. Eu quero ser como o rio que flui, como a flor de lótus que desabrocha, eu quero ser o beija-flor que suga seu néctar. Quero ser todos em um só. Neste instante me encontro em cima do muro que divide o mundo. Estou na linha da confusão, dos que não decidiram para que lado irão. Sou diferente de tudo. Não tenho uma classificação. Sou livre de rótulos e abolida de julgamentos. Eu sou a inusitada, eliminada da sociedade. Procuro achar a soma de fatores, que me levem a achar a essência de minha ofuscada alma, desprovida de qualquer esplendor. Minha alma escura e calma, que vaga na penumbra da noite sem rumo, enquanto me perco em meus sonhos. Quero decifrá-la. Quero decifrar-me. Eu não sou isso nem aquilo. Não estou nem quero ficar. Eu sou simplesmente um meio termo. Me encontro entre dois extremos. E para onde irei? A pergunta ecoa no ar. E a resposta? Eu a espero até hoje, sentada em um velho banco, deixando que o vento leve meus pensamentos. E trazendo cada vez mais incertezas.


Por Maura da Costa, estudante de Alegrete

Postado por Equipe Kzuka

No meu mundo perfeito

04 de novembro de 2009 0

Hoje, voltando pra casa, comecei a pensar como seria o mundo perfeito. A idéia pareceu que não ia render, mas me diverti bastante. No meu mundo perfeito, as chapinhas não estragariam o cabelo, o salto alto não machucaria os pés, as calçadas não teriam buracos, ninguém teria intolerância à lactose e o meu time sempre ganharia do rival. No meu mundo ideal, ninguém ia ter problema com horários ou prazos. Nada de ficar se estressando com milhares de atividades a fazer em um tempo mínimo. Nada de tempo recorde no almoço, ou dia em família cronometrado e com cabeça em outra coisa. Por outro lado, também não existiria aquela preguiça que nos impede de realizar tarefas simples, como levar o cachorro pra passear, corrigir o dever do filho, arrumar aquela gaveta que há anos foi esquecida, ou cuidar do jardim que sempre sonhamos ter. No trabalho não haveria estresse. Cada um realizaria – e bem – a sua parte, sem se intrometer ou dar palpite na tarefa dos outros. Sentiríamos prazer em exercer a profissão que escolhemos e não haveria competição entre as pessoas. Seríamos remunerados o suficiente para viver – e não sobreviver – sem luxo. A chuva nunca nos deixaria mal. Sem guarda-chuvas que sempre falham quando precisamos e sempre esquecemos em algum lugar depois. Nada de ruas alagadas ou enchentes. Só aquela chuvinha de verão pra refrescar a cidade ou aquela chuvarada para aqueles dias que resolvermos dormir, dormir, dormir… No meu mundo ideal, as pessoas seriam educadas. Diriam “Bom dia”, “Boa tarde” e “Boa noite” sempre que possível. “Bom dia” para o vizinho, para o porteiro, motorista do ônibus, cobrador, tia da limpeza, pessoas na rua. Também não jogariam papel no chão em hipótese alguma! – meio papel de bala? Pra lixeira mais próxima! -. “Licença”, “Por favor” e “Obrigada” seriam o Top 3 das expressões mais faladas; o “Te amo” seria dito mais vezes e o mais carinhosamente possível. Nesse mundo também não haveria poluição e desperdício. Abdicaríamos mais do carro, andando mais de bicicleta ou a pé mesmo. Não jogaríamos restos de alimentos fora, e a água seria mais bem aproveitada. Não sentiríamos culpa ao comer demais naquele churrasco com os amigos. Assim, gordinhos e gordinhas seriam felizes. Não vestiriam roupas quatro números menores que o seu, pois teriam noção do ridículo, e não teriam vergonha de ser como são, até porque, no meu mundo ideal, as pessoas estariam mais preocupadas com a essência do que com a aparência. Nessa utopia, as pessoas seriam fiéis. Homens e mulheres! Ninguém teria coragem de dormir em outros braços; ninguém sofreria com a Senhora Tentação. Seríamos felizes e satisfeitos com o que temos e com quem temos. Por fim, as pessoas valorizariam mais as emoções humanas. Dariam mais atenção às pessoas a sua volta; escutariam mais do que falariam. A TV não seria tão importante; as conversas seriam pessoalmente, olho no olho, não por telefone ou MSN. Pra isso, os amigos não morariam longe, estariam sempre por perto quando precisássemos ou não. A saudade nunca seria nostálgica, seria boa; a violência seria uma lembrança remota. No meu mundo perfeito… 


Por Ju Leiria, estudante de Porto Alegre

Postado por Equipe Kzuka

O Amor e a Razão

03 de novembro de 2009 0

Reza a lenda que o amor e a razão não podem habitar dentro de um mesmo ser. Será?

O amor pode ser definido com várias formas, todas completamente diferentes uma da outra. A razão é a análise detalhada de tudo que está a nossa volta.

Penso que o amor pode ser acompanhado pela razão, pois mede-se os atos para fazer a pessoa amada feliz. Mas, já não posso afirmar que a razão vem acompanhada pelo amor, ninguém escolhe quem amar.

Já a paixão, acredito que seja diferente. Isso é o problema. As pessoas “amam” muito fácil. Este amor precipitado, não é nada mais do que encanto, desejo, paixão. Nesse momento sim, as pessoas param de pensar, de respirar, de ver, apenas sentem.

O amor é solidariedade, quer ver quem ama feliz, mesmo que para isso a pessoa amada tenha que estar a quilômetros de si. Por esse motivo, creio que a razão ande com o amor, pois no faz perceber o que é bom e o que é ruim.

Quando existe a paixão, o egoísmo é o que domina. Por esse motivo muitas pessoas matam e/ou destroem a vida de seus “amados”.

Cada pessoa sabe o que sente, amor, paixão, carinho, desejo, ou seja, viva intensamente esse sentimento, seja ele qual for, mas sempre meça as conseqüências, de repente esse sentimento pode levá-lo a algum lugar que não queira.

Ame com todos os neurônios e pense com todo seu coração.

Por Heloisa Corrêa, estudante de Candelária

Postado por Equipe Kzuka

Padrão de Beleza

19 de outubro de 2009 0

Os estereótipos de beleza existem no mundo inteiro, porém no Brasil esses padrões estéticos são mais valorizados. Infelizmente a população inspira-se nas modelos e atrizes para adquirir corpo bonito, o que, às vezes, gera um desperdício de dinheiro e acarreta problemas de baixa autoestima nas mulheres. A cirurgia plástica é o meio mais utilizado a fim de atingir o topo da beleza padrão, entretanto é o que tem maiores chances de erro e é o mais caro. Os erros causados por uma cirurgia plástica são irreversíveis e causadores até de depressão. Botox, cirurgias faciais e lipoaspiração estão entre as mais procuradas. A busca pela aparência ideal nesse mundo perfeccionista motiva inúmeras mulheres a procurarem tratamento. A imagem transmitida pela mídia influencia na decisão de cada uma ao procurar ajuda profissional. Porém nem tudo se resume em aspectos físicos, envolve também o emocional que acaba muitas vezes ferido devido essa prática desnecessária para ficar igual a celebridades. O que não é desculpa para entrar numa intensa procura da perfeição. A infinidade de recursos também não é desculpa para ingressar numa exagerada busca da magnitude. Cada mulher possui a sua beleza, por isso não é possível definir beleza em um estereótipo só. Nem sempre o que é bonito nas modelos é bonito nos outros. Deus criou cada uma com suas características específicas. Portanto, devemos nos amar como somos e não como querem que sejamos. 


Por Luíza Zanatta Maia, estudante de Vacaria

Postado por Equipe Kzuka