Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

A Ordem Sagrada dos Geeks

17 de maio de 2012 1

Por causa do nome do blog, várias pessoas me perguntam o que é geek ou quem é um geek ou como identificar um geek. Eu tento explicar, mas na maioria das vezes, a imagem ou o conceito que as pessoas já têm de um geek atrapalham o entendimento. Pois bem, esse info mostra direitinho que geek não é só um  fanático de internet e muitas vezes, as pessoas os confudem com os nerds.

Eu, logo de cara, me indentifiquei com dois tipos de geeks abaixo: Internet Geek e Apple Fan Boy Geek. Sem falar, que quem me conhece, sabe que eu uso bastante a palavra intuitivo, que babaquice, haha.

Casey Neistat: um dos caras mais legais do Youtube

16 de maio de 2012 1

Casey Neistat tem mais de 15 milhões de views no seu canal do Youtube, o (www.youtube.com/user/caseyneistat). Ele é um dos caras mais legais por lá. Os vídeos que ele produz sempre têm um cenário urbano e a maioria fala sobre tecnologia. Ele grava desde um menino aprendendo a dirigir a um manual de como andar e escrever mensagens de texto. Um dos que eu mais gosto é o de uma competição entre a Siri, a assistente virtual e um assitente pessoal real.

AssistÃO:

E esse ensinando a transformar fones de ouvido normais nos Beats? O resultado ficou bagaceiro, mas a ideia é afudê.

100 floors veio para curar a febre de Draw Something

14 de maio de 2012 6

Há algum tempo, Draw Something tem sido o game do momento. O app ficou várias semanas em primeiro lugar na App Store, o meu Facebook é bombardeado de atualizações de desenhos das pessoas, mas ao que tudo indica, a popularidade do DS está caindo, e muito. Em sete dias, o jogo perdeu mais de 100 mil usuários.  Agora, o game número um na App Store é o 100 Floors.  Às vezes, é possível ver a popularidade e o potencial de um jogo para smartphone pelo ranking de downloads, mas especificamente, pelos ratings. 100 Floors está há várias dias como número 1 e já tem quase 5 mil ratings na App Store americana.

O jogo parece bem babaca e os gráficos são terríveis, muito primitivos mas logo você esquece e se torna um viciado, googlando dicas para passar de fases quando não consegue. Não é preciso muita técnica para passar os níveis. O objetivo é abrir as portas do elevador de cada andar devendando alguns mistérios, usando a tela e o sensor de movimento do iPhone. Sacudir o aparelho, fazer o movimento de pinça na tela, virar de cabeça pra baixo, movimentar itens no cenário, tudo vale.  O objetivo é chegar até o centésimo andar.

Capinhas de iPhone por Renata Lira

13 de maio de 2012 1

Quem curte trocar a roupa do seu iPhone depara com preços absurdos quando sai à procura de capinhas novas. Já vi algumas com preços superiores a R$ 200, cujo material não era nada de mais, nada de diferente das outras.

Procurando por novas capinhas para o meu, encontrei o Instagram da Renata Lira (@renatinhalira). Ela é de Recife e revende algumas covers muito legais e fofos. O melhor de tudo é que os preços são acessíveis para quem gosta de variar.  Os cases de laço e spikes são customizados por ela. No estoque da Renatinha, tem até aquele case recarregável que é uma mão na roda.

Trocamos alguns e-mails, para comprar dá pra escolher o modelo pelo flickr ( www.flickr.com/photos/renatinhaliracase/) e depois mandar um e-mail pra ela: renatinhalyra@hotmail.com. Nas palavras dela, o sistema é assim:
Para comprar é simples: é só escolher o produto, perguntar se ainda tem no estoque, fazer o deposito na minha conta corrente e mandar seu endereço completo, assim que confirmar o deposito, envio as cases para você!

Se você for de Recife, marcamos um encontro para a entrega.
O frete é uma taxa única para todo o Brasil no valor de R$ 15 se ultrapassar, fica por minha conta. Caso queira via Sedex, calcularemos o frete de acordo com seu CEP.

Instagram é arte?

09 de maio de 2012 0

Só que não. Ou pode até ser. A real é que não param de surgir novidades em torno do app de fotos mais popular do mundo para você pensar em gastar todo seu dinheiro com essas coisas para deixar o quarto ou a sala mais legal.

Vamos lá:

O Instacanv.as torna  fotos de Instagram em uma obra de arte.  O site promete que consegue fazer uma tela a partir de qualquer foto de tirada com o app por a partir de U$ 30. Tudo funciona como se fosse uma galeria de arte virtual, dá pra comprar telas feitas por outros usuários, visitar a galeria de outros e talicoisa.

O Instaprint foi algo que me deixou atordoada. Fiquei realmente impressionada com o fato de terem pensado em algo tão legal para eventos com o Instagram. Seguinte: sabe aquelas Photo Booths alugados para casamentos e aniversários? É a mesma coisa só que com Instagram. A máquina de Instaprint é programada para imprimir as fotos que tiverem uma hashtag específica ou forem taggeadas em determinados lugares. Em um casamento, os convidados da festa podem ficar tirando fotos usando a tag da noite : #casamentodafulana que a máquina, no local, vai imprimir todas. O preço é totalmente inacessível, já que o aluguel por um dia custa U$ 7500 #morry

Já o printstagr.am trabalha com uma variedade legal de produtos. Dá pra se ter uma camiseta, livrinhos, adesivos e pôsters com fotos do Instagram. Os preços são super em conta e eles fretam para o Brasil!

O mundo sem Mark Zuckerberg

08 de maio de 2012 0

Como seria o mundo sem Mark Zuckerberg? A Forbes fez vários infográficos de como seria o mundo sem algumas das perosnalidades que movimentam a economia global (sim, Eike Batista estava entre eles).  Um mundo sem o geniozinho do Zuckerberg seria menos conectado, com menos investimento em publicidade online,  com menos desevolvedores de apps, maassss pelo menos, seria um mundo com menos divórcio, já que em torno de 300 mil pessoas descobriram que estavam sendo traídas pelo Facebook.

Depois da compra do Instagram, Mark pode dormir sossegado já que os 3 bilhões de uploads de  fotos por dia certamente vão aumentar.


Reprodução: Forbes

(tá foda ver os números desse tamanho, clicando na imagem ela abre maior em outra janela)

Do's e Dont's do Instagram

04 de maio de 2012 0

O caderno Kzuka na Zero de hoje teve uma matéria com tuuuudo sobre o Instagram! Eu e meu colega Rodrigo Adams  fizemos uma lista de o que fazer e o que não fazer no Instagram! Demos alguma na matéria de hoje, mas outras ficaram de fora: Confira as dicas na íntegra :)

*Não poste fotos de tudo o que vir pela frente. É melhor ser lembrado pela qualidade de uma imagem do que pela quantidade postada.

* Use tags – palavras chaves – para identificar suas fotos. Ao clicar nelas os usuários entram em uma espécie de banco de dados do mundo todo. Se você gostar de All Star, por exemplo, basta clicar na tag e ver as fotos de outros usuários. Se você for um bom retratista, irá ganhar likes de diferentes partes do planeta.

* Seguir alguém famoso, não significa sinônimo de qualidade nas postagens. Porém, tem alguns que capricham em suas postagens. Um cara que posta fotos incríveis é o Marcelo Adnet, apresentador da MTV.

* Existem perfis especializados, que só postam sobre determinado assunto. Um dos mais legais é o ILovePlaymo. Nele você verá fotos incríveis somente com os bonequinhos do Playmobil, sucesso entre as crianças do anos 80.

* NÃO use  fotos do Google ou de outras pessoas.

* Sincronize sua conta com o Facebook e Twitter. Mas saiba diferenciar quais fotos devem ser compartilhadas em cada rede.

* Cada rede social tem sua função e seu público, é legal, para poupar seus amigos, e aumentar a qualidade das coisas que você posta na web, diferenciar o que você publica. Se você é um viciado no Instagram e posta várias fotos, pense em não compartilhá-las todas no Facebook, é cansativo para quem vê. Mas no Instagram, que já é uma rede social de fotos, as pessoas estão procurando esse conteúdo e o retorno vai ser maior. Aproveite para postar as melhores imagens ou aquelas que você quer que seus amigos comentem, o resto, deixe material exclusivo para quem tem Instagram.

* Use o enquadramento do Instagram smpre quando possível. – O Instagram dá a possibilidade de compartilhar e editar fotos que estão salvas no nosso celular. Geralmente, o enquadramento da câmera é mais retangular, a do Instagram, mais quadrada. Tente sempre, quando for postar, abrir o aplicativo e depois tirar a foto. Fazer o upload para o Instagram de uma foto que já foi tirarada, pode comprometer a qualidade dela ou comprometer os detalhes.

* Não tema o filtro natural. Algumas fotos ficam melhores sem filtro algum! Não tenha medo. Dependendo da imagem, ele até pode estragar!

Os 20 vídeos mais antigos do Youtube

23 de abril de 2012 0

Neste dia, há 7 anos, o primeiro vídeo era upado no Youtube.  O Me At the Zoo, em que um cara fala sobre as trombas dos elefantes (?)  no zoológico foi o pioneiro no site. A compilação abaixo junta os mais antigos da história do Youtube. Quanta besteira…

O dia que eu participei de um Hangout com o Secretário geral da ONU, Ban Ki-moon

10 de abril de 2012 1

Eu lembro bem do dia que o Google+ fez um Hangout com Obama. A rede social do Google e tudo ainda era muito novo.  A oportunidade que aquelas pessoas que participariam do Hangout com o presidente, sem precisarem sair de casa, era incrível. Pra quem não sabe, o Google+ tem um sistema de videoconferência  que se chama Hangout. Você pode falar ao vivo e ver os seus amigos que tem conta no G+.  Foi usando essa ferramenta, do Google, que Obama falou com alguns americanos e o mundo inteiro pode acompanhar.

Algum tempo depois, recebi uma mensagem pelo Whatsapp de uma amiga que já havia trabalhado em Nova York, na ONU, e precisava indicar alguém para um novo Hangout, mas dessa vez seria com Ban Ki-moon, Secretário geral da ONU.  Aceitei e logo depois, os organizadores do Hangout, funcionários do Google e de outras empresas que estavam organizando o Hangout, entraram em contato comigo várias vezes para testar nossa conexão, ver se o ambiente que estávamos era bom, silencioso e com iluminação suficiente para dar tudo certo.

Precisei testar minha conexão com o speedtest.net (testem as suas e vejam se vocês recebem o que pagam!) e também tive que levar meu computador para alguns lugares e testar qual seria o melhor para o dia.

Hoje, antes das 16h30, horário aqui do Brasil que o Hangout começaria a ser transmitido, novamente testamos tudo. O mais de legal, foi a oportunidade de ver as histórias incríveis dos outros cinco participantes. Um dos meninos, o Nick, de Londres, fundou uma empresa de tecnologia há um ano e teve investimento de bilionários internacionais (prodígio!), assim como outra participante era dos Estados Unidos, professora de Middle School (o equivalente às séries de 6º a 8º). Eram, ao todo, seis participantes de países diferentes, o moderador, o VP do Google David Drummond e o Secretário geral da ONU, Ban Ki-moon. Tivemos um minuto para fazer nossas perguntas ao Mr. Secretary-general (como deveríamos chamá-lo durante o Hangout) e ele, muito atencioso, respondeu tudo. Uma das coisas mais legais, foi que nada foi forçado. Mesmo para uma transimissão mundial, o Google não forçou a barra, deixou tuodos a vontade e não fez exigências quanto ao lugar ou o ambiente da transmissão. Todo mundo estava onde se sentia bem, independentemente se tinha uma decoração legal ou não. Bastava ser iluminado e ter uma conexão bombante.

É uma constatação óbvia, mas a tecnologia está tão próxima da gente e tão acessível hoje, que não é mais privilégio para poucos.  A própria ONU declarou que ter acesso à internet é um direito humano. Sem dúvida alguma, estamos mais próximos de tudo e de todos e menos desiguais, já que o acesso a informação e ao conteúdo é livre e na medida do possível democrática. Não há mais barreiras, nem para falar com os líderes mundiais e expressar minha opinião, quanto para estar no mesmo lugar ao mesmo tempo com pessoas de outros países. Fica aí a reflexão.

Abaixo, o vídeo do Hangout:

6 cases ridículos para iPhone

04 de abril de 2012 0

Eu sou  fanática por capinhas de iPhone. Tenho várias. Uma é réplica de um Game Boy retrô, outra é uma fita K7, uma barra de chocolate e por aí vai. Quanto mais diferente, melhor. Mas tem algumas empresas fabricantes de capinhas que perdem totalmente a noção fazendo bizarrices para vender. Como eu costumo procurar sites diferentes que vendem esses cases, encontro de tudo. Pois bem, aí vai uma seleção de capinhas ridículas e sem noção.

1. Bonecas
Como se não bastasse a avalanche de pedrinhas brilhosas e outras coisas estranhas, eis que surge um case com uma boneca acoplada. É umas das coisas mais bizarras que eu já vi.  A não ser que você tenha menos de 4 anos, é absolutamente desnecessário usar esse acessório. O pior é que essa coisa mal feita custa mais de R$20 no Deal Extreme.

2.  A ‘Sexy Heat’

O nome dessa ‘obra’ por si só já é ruim mas a foto é pior ainda. Não tem nem o que falar desse. Também é do Deal Extreme.

3. Comida Japonesa

Tão realista que chega a ser nojento. (Detalhe para o terceiro case da segunda fileira. O que é isso?????) O site Strapya vende essas coisas.

4. Mão

A pessoa que pensou nisso garantiu para o fabricante que seria um sucesso, só pode. Além de ser praticamente inviável segurar essa mão confortavelmente enquanto se fala ao telefone, imagina guardar isso na bolsa? Gente, NÃO. Também da Strapya

5. Omniscient Siri

Essa é para quem tem iPhone 4s. O objetivo é tapar completamente o visor, para que você seja forçado a usar as funções do celular com a ajuda da Siri. Além disso, a figura estranha de uma mulher meio andrógina é para fazer a experiência toda parecer mais real. Oi?  Essa é do Shapeways

5. Papelão

Não entendo. As pessoas ciriticam quem não tira os plásticos de proteção do iPhone quando compram, mas de um dia pra outro foi decidido que ter uma capa de papelão (que não protege nada) é legal. Esse não vale nem os U$ 0,99 que custa no Case Mate